Fox e Netflix, o fim do caso de amor Fox e Netflix, o fim do caso de amor
0shares 0Facebook 0Twitter 0Google+ Em maio de 2012 a Netflix assinou contrato para licenciar as principais produções da Fox para os assinantes da America... Fox e Netflix, o fim do caso de amor

Em maio de 2012 a Netflix assinou contrato para licenciar as principais produções da Fox para os assinantes da America Latina, disponibilizando diversos conteúdos entre series e filmes. Na época o vice-presidente de aquisição de conteúdo da Netflix declarou “É ótimo poder levar grandes favoritos como How I Met Your Mother e Glee a nossos assinantes na América Latina e Brasil” e complementou  “Nossa parceria com a Twentieth Century Fox continua a crescer e oferecer mais opções para assinantes da Netflix do mundo todo”.

Então por que acabou esse caso de amor?

na ultima semana o Guia NETFLIX divulgou a remoção de diversas produções da FOX incluindo grandes sucessos como Glee, Bones, Prison Break, How I Met Your Mother, American Horror Story, 24 Horas e Sons of Anarchy.

A Netflix apontou a principal causa dessa não renovação por conta do serviço de streaming Fox Play (que atualmente é restrito a assinantes das operadoras Claro HDTV, Vivo, GVT e Sky, (sem custo adicional) alegando que já que a emissora tem seu próprio serviço não haveria interesse em uma renovação para um serviço de streaming concorrente.

Mas seria apenas isso?Não poderia ter outros motivos por trás?

Afinal, um serviço como o Fox Play, ainda tão restrito não seria a representar uma concorrência ao Netflix como por exemplo o Amazon Prime (ainda não disponível no Brasil, mas já possui contrato de exclusividade com a HBO) e outro ponto é o exponencial aumento de produções próprias da Netflix pelo mundo e a empresa prevê que até o final de 2017 será 50% de produções próprias e aumentando a cada ano.

Então podemos concluir que esses contratos com outras empresas futuramente também podem ser afetados já que a Netflix não comprar os títulos como as emissoras tradicionais e sim são apenas licenças de tempo determinado para disponibilização de títulos e com esse aumento de produções próprias o futuro da Netflix pode vir a ser se tornar uma emissora de streaming e não um serviço de TV como é considerado atualmente.

Charlie Borba

Nerd, cinefilo e amante de quadrinhos há mais de 20 anos.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *