Nerdstark entrevista: Barry Duffield, o Lugo da serie Spartacus Nerdstark entrevista: Barry Duffield, o Lugo da serie Spartacus
14shares 14Facebook 0Twitter 0Google+ Salve galera! O Nerdstark traz com exclusividade uma entrevista com o ator Inglês Barry Duffield mais conhecido pelo seu papel... Nerdstark entrevista: Barry Duffield, o Lugo da serie Spartacus

Salve galera!

O Nerdstark traz com exclusividade uma entrevista com o ator Inglês Barry Duffield mais conhecido pelo seu papel na série Americana Spartacus (no qual interpretou Lugo), Barry que também é autor já participou de diversas produções na Nova Zelândia (onde mora atualmente), além de ter participado de outras séries famosas por aqui como Xena – A princesa guerreira, Hércules, entre outras produções.

Abaixo vocês conferem o nosso bate papo com o ator sobre sua carreira e seus projetos no mundo geek.

Versão em inglês AQUI!

Primeiramente vamos falar sobre Spartacus: Como foi para você trabalhar com o Steven (S. DeKnight) criador e produtor por trás de tantos projetos bacanas como Buffy, Dollhouse, Smallville, A primeira temporada de Demolidor entre outros?

Eu não conheci Steven até a premiere de Spartacus: War of the Damned em LA. Ele literalmente se jogou em mim no tapete vermelho e eu pensei que estava prestes a ser assaltado na frente dos paparazzis. O cara é como o Magneto, uma fonte de energia e muito pé no chão. Eu espero um dia poder trabalhar com ele de novo.

O Carismático Lugo teve uma morte triste e chocante, você teve alguma liberdade criativa?

Todo mundo seguiu o que estava no roteiro, no que diz respeito ao dialogo, era tão bom, porque mudá-lo? Nós tínhamos liberdade para desenvolver nossos personagens com o que a gente trouxe no dia.

Diante da morte eminente Lugo grita “Fuck Your Mothers”, isso estava no roteiro ou quem teve a idéia?

Estava no roteiro e foi a melhor maneira de partir 🙂

Qual foi o clima depois da gravação do ultimo episódio e emocionante episódio? Como foi olhar pra trás e lembrar do legado deixado por Andy?

Andy faleceu no final de Vengeance e dizer que o clima no set era sombrio seria eufemismo. Eu nunca trabalhei com Andy, mas eram inúmeras as histórias entre as pessoas que trabalharam com ele. Andy era amado e respeitado por todos que o conheceram.

Como foi dizer adeus para o resto do elenco? Vocês ainda mantêm contato?

Dizer adeus aos colegas Australianos, Britânicos e Americanos foi duro, pois muito deles se tornaram como uma extensão de minha família. Eu ainda vejo muito os atores que são da Nova Zelândia ao redor de Auckland. Graças às convenções de Spartacus eu ainda consigo ver todos eles uma ou duas vezes ao ano. Esse ano irá acontecer em Maryland (USA) no mês de Abril a Spartacon 3 e no começo de outubro na França acontecerá a Rebels Spartacus Con.

Você participa de CC’s ao redor da Europa e America do Norte, Você já ouviu falar que nós temos uma das maiores CC’s da Amarica Latina aqui no Brasil chamada: Comic Com Experience?

Ainda estou esperando meu convite – Eu amaria visitar o Brasil!

Muitas pessoas não sabem, mas, você é um ator que já teve vários trabalhos. Fala para gente um pouco sobre sua carreira.

Eu sou um ex-militar que caiu na carreira de ator em 1988, em um comercial para TV da marca Kawasaki. Eu ainda sou roteirista, autor de graphic novel, e às vezes diretor… E um personal trainer qualificado.

Vamos falar sobre Deadman’s Land, que é uma graphic novel que você escreveu, do que se trata?

“Um inventivo, e sangrento show de horrores! Se passa perfeitamente na Europa do fim da segunda guerra mundial, possui personagens bem construídos, emocionantes reviravoltas e uma sagacidade brilhante. Possui a mesma veia de Dog Soldiers – Cães de Caça (2002) e outros grandes lançamentos do gênero, além de implorar para uma adaptação cinematográfica. Diversão completa.” Sir Richard Taylor da Weta Studios (Lord of the Rings, King Kong, The Hobbit)

Como foi o processo criativo? De onde surgiu essa história?

Sempre fui um grande fã de lobisomem tanto na literatura quanto nos filmes e eu quis trazer algo que não houvesse sido feito antes.

Por que Lobisomem e Nazistas?

Na realidade os Nazistas tiveram uma unidade chamada “Lobisomem”, então eu simplesmente combinei os dois caras maus em uma encarnação sombria.

Como tem sido a recepção dos fãs em relação a sua graphic novel?

Até agora tem sido ótimo – A história acabou de ser pega para distribuição por uma empresa australiana chamada Comics2Movies ou você pode adquirir uma cópia pelo site da Amazon agora mesmo.

Deadman’s Land
by Mr Barry Duffield et al.
Link: http://amzn.eu/coxIQNH

Você tem um novo projeto chamado Tandoori Apocalypse; Fale um pouco sobre ele.

O sol está morrendo, uma era glacial a nível global se aproxima, e um vampiro intergalático está infectando a humanidade em preparação para o resto de sua raça que está para ser trazida através do portal ao nosso mundo cada vez mais sombrio. Mas nem tudo está perdido. Dois comerciantes indianos, Raj e Vimal ainda possuem sua loja de esquina, aberta 24hrs por dia 7 dias por semana refugiando um grupo de sobreviventes que irão batalhar até o amargo fim… Se eles conseguirem sobreviver uns aos outros. Tandoori Apocalypse: Edição #1 – Bombay Rounding está disponível no site da Amazon. Há mais três edições a serem lançadas para completar a série e elas virão em breve.

Algum outro projeto?

Minha nova graphic novel chama-se: Hellion Rising e está sendo desenvolvida no momento – A história é assustadora!

Pra encerrar, confiram um pouco mais do Lugo na serie Spartacus!

Paullo Mendonça

No comments so far.

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *