RESENHA – INFILTRADO NA KLAN RESENHA – INFILTRADO NA KLAN
0shares 0Facebook 0Twitter 0Google+ Esse é um filme que realmente me surpreendeu, apesar de já conhecer o estilo de Spike Lee. “Infiltrado na Klan”... RESENHA – INFILTRADO NA KLAN

Esse é um filme que realmente me surpreendeu, apesar de já conhecer o estilo de Spike Lee. “Infiltrado na Klan” é baseado no livro homônimo, de 2014, no qual Ron Stallworth conta a sua experiência como policial na década de 70, quando começou a investigar a Ku Klux Klan e conseguiu se associar à organização. Tranquilamente, é um dos melhores filmes que assisti neste ano.

Ron Stallworth é um personagem interessantíssimo. Ele foi o primeiro negro a integrar o departamento de polícia de Colorado Springs, e encabeçou uma investigação cujo objetivo era desmascarar a Ku Klux Klan, uma organização que disseminava o ódio e o preconceito. Ron fazia contatos por telefone com a Klan, e nos encontros presenciais quem ia era Flip. Não satisfeito, Ron começou a ligar para David Duke, o chefe da organização, de quem ficou próximo. Paralelamente, ele se envolve com Patrice, uma líder estudantil negra, que tem ideias radicais a respeito da relação entre brancos e negros, diferentemente de Ron, que busca a convivência em harmonia.

Tecnicamente, não há reparos a fazer, até porque estamos falando de Spike Lee. A fotografia e a caracterização são impecáveis, parecendo que estamos realmente vendo cenas que foram filmadas nos anos 70. A obra traz comédia e realidade de forma equilibrada. Ao mesmo tempo que nos divertimos com o estilo de Ron, bem como a sua relação com Flip, seu parceiro na polícia, a maneira com que o preconceito racial da época é demonstrado nos deixa completamente desconfortável, tanto por ser uma coisa completamente absurda, mas principalmente por sabermos que aquilo de fato acontecia, e acontece até hoje. Ron Stallworth é interpretado por John David Washington, de quem não conheço os trabalhos anteriores, mas ele está perfeito no papel. Seu parceiro Flip é vivido por Adam Driver, o Kylo Ren de Star Wars, a interpretação dela é primorosa. No papel de Patrice, temos Laura Harrier, a Liz de “Homem-Aranha: de volta ao lar”, e ela está muito bem também. Os demais atores, tanto do grupo da polícia quanto da Klan também estão ótimos e bastante convincentes. O roteiro é excelente e é uma história que vale a pena ser conhecida.

Para finalizar, vale ressaltar a importância de uma obra cinematográfica fazer crítica social de uma forma inteligente e bem construída. Ao mesmo tempo que o filme traz entretenimento, ele nos leva à reflexão. É muito bom ver Spike Lee novamente nas telonas, trazendo um filme de tamanha importância como é “Infiltrado na Klan”. Imperdível.

Nota: 10,0

Roberta Rodrigues

No comments so far.

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *