Home / RESENHAS / RESENHA – INVASÃO AO SERVIÇO SECRETO

RESENHA – INVASÃO AO SERVIÇO SECRETO

Quando eu assisti no cinema “Invasão a Casa Branca”, lá em 2013, jamais poderia imaginar que poderia se tornar uma franquia, pois parecia uma história fechada em si mesmo. Três anos mais tarde, tivemos o retorno de Mike Banning, do presidente Benjamin Asher e de Speaker Trumbull em “Invasão a Londres” e, em 2019, mais uma vez acompanhamos Banning e o agora presidente Trumbull em “Invasão ao Serviço Secreto”.

As tramas da franquia sempre giraram em torno do terrorismo, tema recente e que sempre desperta interesse. Porém, o que temos neste terceiro filme da série é algo um pouco diferente: um ataque é orquestrado contra o presidente e sua equipe de segurança enquanto ele pescava em um lago, e somente ele e Banning sobrevivem. Obviamente, isso acaba fazendo com que todos desconfiem que Banning havia armado tudo, e assim nosso exército de um homem só inicia uma operação para provar a sua inocência. Paralelamente a isso, Banning está enfrentando problemas de saúde, mas esconde esse fato para continuar exercendo o trabalho que tanto gosta.

Desde o início, para quem já está habituado a esse tipo de filme que envolve ação, espionagem e traição, fica evidente quem foi o responsável pelo ataque, e quem foi o mandante do crime. Mas o que prende na história é exatamente a jornada de Mike Banning para mostrar que ele não foi o culpado, e que foi vítima de uma armação. Além, é claro, de podermos nos deliciar com todo o tipo de luta, tiroteio e explosão, afinal de contas, “Invasão” é uma franquia que trata de jogos políticos, mas também conta com muito tiro, porrada e bomba. E a gente gosta!

Nem todo herói usa capa, e um deles é exatamente Mike Banning, mais uma vez vivido por Gerard Bütler, figurinha carimbada em filmes de ação, e sempre cumpre o que promete. Já sobre Morgan Freeman, a única coisa que tenho a dizer é que acho que devemos fazer um abaixo-assinado para que ele sempre interprete o papel de presidente dos Estados Unidos enquanto viver. E de Deus também. Outro destaque fica por conta de Nick Nolte, mas não vou contar pra vocês qual papel ele interpreta, para não estragar a surpresa.

Gosto das cenas de ação, das coreografias de luta, da fotografia e da direção do filme como um todo (a cena do ataque dos drones é um espetáculo a parte, e assustadora por sabermos que é algo possível de acontecer na vida real). Méritos do diretor Ric Roman Waugh, que também dirigiu “O Acordo”, com The Rock, e “Sem Perdão”, com Nicolaj Coster-Waldau (o Jaime de Game Of Thrones).

Em suma, “Invasão ao Serviço Secreto” é um filme para quem gosta de ação, e que se permite aceitar que um sujeito armado com uma pistola pode derrubar vários homens com metralhadoras, e que se diverte assistindo violência e boas brigas no cinema. Além, é claro, de várias cenas na bela cidade de Washington D.C., em contraste a todas as explosões e tiros que vemos no decorrer do filme. Eu curti.

Nota: 9,0

Roberta Rodrigues AutorParticipant
Cabine de Imprensa , Nerd Fusão
Aqui é Nerd Fusão na veia!
follow me

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

x

Check Also

RESENHA – DOUTOR SONO

Vivemos em uma época que a indústria cinematográfica tenta explorar ao máximo ...