Resenha: Liga da Justiça (com Spoilers) Resenha: Liga da Justiça (com Spoilers)
33shares 33Facebook 0Twitter 0Google+ Acredito que todo mundo que assistia ao desenho dos Superamigos na infância aguardava ansiosamente pelo filme que reuniria os grandes... Resenha: Liga da Justiça (com Spoilers)

Acredito que todo mundo que assistia ao desenho dos Superamigos na infância aguardava ansiosamente pelo filme que reuniria os grandes heróis da DC. Depois de um início satisfatório com o “Homem de Aço (2013)”, uma continuidade controversa em “Batman vs Superman (2016)”, e finalmente uma obra que agradou praticamente a todos com “Mulher Maravilha(2016)”, o que vemos em “Liga da Justiça” é a DC tentando encontrar o caminho a ser seguido em seu universo.

Liga da Justiça” teve alguns problemas de percurso, sendo o principal deles a saída de Zack Snyder, que perdeu sua filha no início deste ano. Para concluir o filme, o escolhido foi Joss Whedon, um dos grandes responsáveis pelo universo compartilhado da Marvel, que já perdura por dez anos. A assinatura de Snyder ainda é bem presente na trama, especialmente no abuso das cenas em câmera lenta (há uma cena em que até as caixas de frutas voam em slow motion). Mas também é possível constatar as mudanças promovidas por Joss Whedon, especialmente no tom do filme. Se em “Batman vs Superman” víamos heróis amargurados, sofridos, em um cenário bastante sombrio, em “Liga da Justiça” o clima é mais leve, mais agradável, todos eles fazem piadas em diversos momentos, e a paleta de cores é bem mais alegre.

O filme começa mostrando como estão o Batman e a Mulher Maravilha após os acontecimentos de “BvS”. Como Superman está morto, há uma cena da Lois Lane e da Martha Kent conversando sobre como estão encarando a perda de Clark e seguindo em frente. Quanto à apresentação dos três heróis que faltavam (Aquaman, Flash e Cyborg), ela é rápida, porém eficiente, e serve para compreendermos a origem e a personalidade de cada um deles, seus problemas e suas motivações.

A trama principal consiste no retorno do Lobo da Estepe para resgatar as três caixas maternas e acabar com o mundo. E aqui acho que o filme se explica demais: há uma cena em que Diana conta a Bruce sobre as caixas maternas, que uma está com os Atlantis, outra com as Amazonas e outra sob a guarda da tribo dos homens. Para quem não conhecia a história, até foi interessante; mas para quem já conhecia, ficou meio enfadonho. Da posse dessa informação, Bruce Wayne resolve montar uma equipe com o auxílio de Diana, para convocar Aquaman, Flash e Cyborg, e ressuscitar o Superman, com o objetivo de combater o Lobo da Estepe e, obviamente, salvar o planeta Terra.

Apesar de serem heróis, deuses, pessoas com superpoderes, em diversos diálogos fica bastante evidente que todos eles possuem seus dramas pessoais. Diana demorou para assimilar a perda de Steve Trevor. Barry Allen tem que lidar com o pai presidiário que é suspeito da morte da esposa. Victor Stone foi salvo da morte em acidente por seu pai, que usou a caixa materna e o transformou em um ser bizarro. Arthur Curry meio que nega suas origens e não superou o fato de ter sido abandonado pela mãe quando era criança. Bruce Wayne sempre foi atormentado e teve problemas de relacionamento, tanto que ele chega a dizer que Superman era mais humano que ele.

Sobre o Superman, ele é uma das melhores coisas do filme. Clark Kent ressuscita bastante confuso, parece não sabem quem ele é, nem quem são as pessoas que estão próximas dele (o que rende algumas cenas de luta bem interessantes). Mas logo recobra a sua consciência e une-se ao grupo para combater o vilão. Aliás, na maior parte das cenas da equipe trabalhando juntas, o resultado é bem satisfatório.

Em suma, “Liga da Justiça” é uma boa obra de entretenimento, prende a atenção do início ao fim, não tem um roteiro confuso e ainda rende algumas risadas. Para mim, não é um filme tão memorável como “Mulher Maravilha”, mas considerando que a formação de um grupo de heróis é uma tarefa um tanto complicada, “Liga da Justiça” cumpre o seu papel, ao dar o pontapé inicial na formação da equipe. A cena final e a segunda cena pós créditos deixa em aberto a possibilidade de um próximo filme com a Liga, e espero que a DC dê seguimento ao seu universo cinematográfico, e continue a brindar a todos nós, que crescemos assistindo aos desenhos animados ou lendo as histórias em quadrinhos, com a possibilidade de ver nossos grandes heróis nas telas do cinema.

Nota: 8,5/10.

Roberta Rodrigues

No comments so far.

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *