RESENHA – A NOITE DO JOGO RESENHA – A NOITE DO JOGO
2shares 2Facebook 0Twitter 0Google+ De início, confesso que tenho um pouco de preconceito com comédias. Não que eu ache um gênero inferior, mas quando... RESENHA – A NOITE DO JOGO

De início, confesso que tenho um pouco de preconceito com comédias. Não que eu ache um gênero inferior, mas quando o humor é um fim e não um meio, a chance de desastre é enorme. Fui assistir ao filme “A noite do jogo” desprovida de expectativas e saí positivamente surpreendida, pois a história rendeu muitas risadas.

 

Os protagonistas são Max e Annie, casal que se conheceu por causa de trívias, jogos de adivinhação, tabuleiro e afins. Frequentemente, eles se reúnem com amigos para jogar, e há algum tempo vêm excluindo Gary, o vizinho policial que não superou o fim do casamento. Eis que chega Brooks, o irmão de Max, que faz o estilo bem-sucedido, rico, e que desperta a inveja de Max desde que eram crianças.

 

Brooks contrata uma empresa para criar um jogo de assassinato, com atores e todo o cenário necessário. Quem desvendar o mistério, fica com o carro de Brooks, que era o sonho de consumo de Max desde jovem. Só que as coisas fogem completamente do controle e o que era apenas para ser uma brincadeira, acaba se tornando realidade. Porém, mesmo com toda a tensão envolvida, muitas cenas nos levam às gargalhadas, seja pelos diálogos, seja pelo inusitado do desenrolar da trama.

 

As atuações são ótimas, em especial de Rachel McAdams no papel de Annie, Kyle Chandler como Brooks e Jesse Plemons como Gary (o Robert Daly do episódio “USS Callister”, da quarta temporada de Black Mirror). O filme é bem dirigido e a movimentação da câmera é bastante interessante, com alguns planos diferentes, que dão agilidade à história. Por trás de todas as referências, das charadas e das frases cômicas, há a história de Max e Brooks, e o sentimento envolvido nesta relação fraternal. E o que era para ser uma comédia bobinha e cheia de clichês, torna-se um filme bem agradável e com plots twists surpreendentes. Neste período de vacas magras nas telonas, em que o domínio de “Vingadores – Guerra Infinita” é quase absoluto, “A noite do jogo” é uma grata surpresa que vale o ingresso.

 

Roberta Rodrigues

No comments so far.

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *