RESENHA – POR TRÁS DOS SEUS OLHOS RESENHA – POR TRÁS DOS SEUS OLHOS
0shares 0Facebook 0Twitter 0Google+ Em “Por trás dos seus olhos”, Blake Lively (de “A incrível história de Adaline”, “Águas Rasas”, “Café Society” e “Lanterna... RESENHA – POR TRÁS DOS SEUS OLHOS

Em “Por trás dos seus olhos”, Blake Lively (de “A incrível história de Adaline”, “Águas Rasas”, “Café Society” e “Lanterna Verde) é Gina, uma mulher que perdeu a visão quando era criança, em um acidente de carro no qual perdeu seus pais. Ela vive com o marido, James, interpretado por Jason Clarke na Tailândia, onde ele trabalha com seguros. Gina está tentando engravidar, mas o casal está tendo dificuldades e busca ajuda médica. Paralelamente a isso, um médico oferece à Gina a possibilidade de voltar a enxergar, se fizer um transplante de córnea.

Gina é uma mulher aparentemente normal, de classe média. Ela não trabalha, pratica natação e dá aulas de violão para uma menina da vizinhança que tem uma cachorrinha. A mãe da menina está grávida e quer se desfazer do bichinho, Gina fica com pena e a adota. Ela e o marido tem uma vida absolutamente rotineira e sem grandes emoções. Porém, a partir do momento que Gina faz o transplante e volta a ver o mundo por seus próprios olhos, tudo muda.

Assim que Gina recupera a visão, James a leva para o mesmo lugar onde passaram a lua-de-mel, e depois viajam até a Espanha, onde mora a irmã de Gina com o esposo e o filho. Ela experimenta novas cores, novas situações, corre riscos, quer se mudar de casa. Gina passa não só a enxergar a mundo de forma literal, mas também transforma toda a sua percepção sobre a própria vida, e principalmente sobre o seu casamento. Isso faz com que ela se questione, e aquele casal apaixonado do início da trama dá lugar a duas pessoas que parecem estranhas.

Esse é mais um filme do Jason Clarke que eu não consigo gostar. Achei a história fraca, o tema poderia ter sido melhor explorado, e o casal não tem química, as cenas de sexo não funcionam e são quase constrangedoras. A fotografia até é interessante, pois Bangkok é uma cidade bastante colorida e tem belas paisagens, mas a narrativa em si não se sustenta, nem gera empatia com os personagens. Uma pena.

Nota: 5,0

Roberta Rodrigues

No comments so far.

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *