RESENHA – TRAMA FANTASMA RESENHA – TRAMA FANTASMA
3shares 3Facebook 0Twitter 0Google+ “Trama Fantasma” chega aos cinemas como a última oportunidade de vermos Daniel Day-Lewis em ação, já que o ator anunciou... RESENHA – TRAMA FANTASMA

“Trama Fantasma” chega aos cinemas como a última oportunidade de vermos Daniel Day-Lewis em ação, já que o ator anunciou que este será o último filme de sua carreira. Ele interpreta Reynolds Woodcock, um renomado estilista excêntrico na Londres dos anos 50. Apesar de ser um homem de meia idade, Reynolds nunca se casou, e utiliza as mulheres como instrumentos para suas criações. Até que um dia ele conhece Alma, uma garçonete, e a leva para o seu mundo: o mundo da classe, do glamour e da alta-costura. E eles passam a viver um relacionamento peculiar, baseado no que um pode oferecer ao outro. Esse relacionamento entre Reynolds e Alma nunca é somente a dois, pois sempre há a presença de outras pessoas, como Cyril, irmã e braço direito de Woodcock, ou as costureiras e as clientes que frequentam a Casa Woodcock em busca das obras de arte que são os vestidos criados por Reynolds.

O filme todo causa estranheza, possui um ritmo mais lento do que o que estamos acostumados a ver no cinema atualmente. A relação entre Reynolds e Alma lembra um pouco o filme “Mãe!”, tanto pela arrogância dele quanto pela dificuldade dela em ser protagonista na vida dele. Porém, ao contrário do filme de Darren Aronofsky, nesta obra de Paul Thomas Anderson nenhum personagem gera empatia, nem compaixão, nem raiva. Somente indiferença. São pessoas hipócritas que nunca revelam os seus verdadeiros sentimentos, e apenas se aproveitam do que os outros podem lhes proporcionar.

Quanto aos aspectos técnicos, a fotografia do filme é impecável, com tomadas bastante próximas, mostrando os mínimos detalhes, e os figurinos são belíssimos. Algumas cenas me agradaram muito, como a em que Reynolds está desenhando e Alma está tomando café da manhã, fazendo uma série de barulhos e atrapalhando o momento criativo de Woodcock. Um momento trivial transformado em arte.

Por fim, eu confesso que esperava mais do filme, principalmente porque quando temos Daniel Day-Lewis no elenco, a expectativa é alta. As atuações são ótimas, a forma que as cenas foram filmadas é bela, mas a história não me agradou. Como referi antes, nenhum personagem me despertou qualquer sentimento. Dos nove filmes que concorrem ao Oscar na principal categoria, “Trama Fantasma” foi o que menos me agradou.

 

Nota: 7,0.

Roberta Rodrigues

No comments so far.

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *